[Resenha] Delírio, de Lauren Oliver




Ah, o amor! Coração acelerado, borboletas no estômago, mãos suando frio, faces corando, sorrisos, beijos, abraços...Ah, o amor! Musa de escritores, roteiristas, músicos e poetas. São incontáveis as obras que enaltecem, descrevem, e as vezes, amaldiçoam esse sentimento e o sofrimento que o acompanha.

Mas e se o amor não fosse tão inofensivo assim? E se ele fosse a raiz de grande parte dos males da sociedade? E se existisse uma cura para o amor?


Em Delírio, primeiro livro da trilogia homônima, Lauren Oliver descreve uma sociedade distópica onde o amor é uma doença fatal conhecida cientificamente por amor deliria nervosa.Todo jovem que completa 18 anos, obrigatoriamente, passa pela intervenção: o procedimento que o curará desta terrível doença. E Lena, a protagonista, está contando os segundos para este dia. 

Quando Lena era pequena, sua mãe cometeu suicídio, pois não aguentava mais passar por intervenções. Por um motivo desconhecido, a mãe de Lena não conseguia ficar curada, mesmo tendo passado pelo procedimento três vezes. E isso era o que Lena mais temia, ficar tão consumida pela doença, que ela preferiria morrer a viver pelas pessoas que precisavam dela. Aquilo não era vida! Ela queria ser livre! E só seria livre no momento em que fosse curada. 

No dia de sua entrevista no Laboratório, Lena está nervosa. Ela fica repetindo a si mesma as repostas corretas para o exame. Uma resposta em errada seria o suficiente para alertar o sistema. Muito mais do que realizar a cura, a entrevista é essencial para decidir o futuro de cada cidadão. É através dela que a pessoa descobre se vai para a faculdade ou não, quem serão os cinco candidatos a futuro (a) marido/esposa e a até mesmo quantos filhos o casal terá.

Mas de uma hora para outra, tudo muda! Lena descobre que sua melhor amiga anda escutando músicas proibidas pela lei  e também frequenta festas (algo também proibido por lei) E se isso não bastasse, ainda tem Alex, o guarda do laboratório, que apesar de ter a marca que mostra que ele passou pela intervenção, não age como os outros curados. E ele faz com que Lena sinta coisas que jamais sentira. A cada dia que vai se aproximando dos seus 18 anos, Lena precisa decidir se irá ser curada, ou permitirá que a doença a domine por completo.


Embora a premissa possa parecer um pouco pueril "um mundo sem amor", o livro te leva a pensar em como seria viver em tal mundo. Até porque, a cura não acaba apenas com aquele "amor romântico", ela acaba com todos os tipos de amor. A cura te torna incapaz de sentir amor pela sua família, pelos seus amigos, pelas atividades que te dão prazer e também te torna inábil para qualquer sentimento. Afinal, se você não ama nada, nem ninguém, você não consegue odiar nada, sua raiva é quase inexistente, e sua alegria apenas superficial. Se não há amor, a compaixão passa a ser apenas uma obrigação moral e o casamento, não passa de uma obrigação social.  


Como seria viver sem tudo isso? Seria bom? Resolveria os Problemas? Ou apenas causaria novos? Não sentir a dor de um coração partido era melhor do que senti-lo acelerar, apenas por ver quem se ama?






Créditos:Quotesgram

"Amor: uma única palavra, algo delicado, uma palavra que não é mais larga ou longa que uma lâmina. É o que ela é: uma lâmina, uma navalha. Ela corre pelo centro da vida, cortando tudo em duas partes. Antes e depois. O restante do mundo cai em ambos os lados"



4 comentários :

  1. Oi meninas, tudo bem?
    Sucesso aqui com o blog, adorei o cantinho de vcs!
    Comprei Delírio recentemente na Bienal RJ, mas ainda n li. Acho a proposta dele muito interessante e a capa é linda, né? *-* Já li outro livro dessa autora e ela escreve muito bem ;)
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também comprei ele na Bienal! *___* Surtei quando encontrei por R$9,00 no estande da Intrínseca. A capa dos três são perfeitas! Mas lê logo que é muito bom!
      Beijos

      Excluir
  2. Oiie!!
    Eu sou louca para ler esse livro, já várias resenhas positivas sobre ele, mas ainda não comprei, então acho que vou ler online mesmo. Sua resenha está maravilhosa e me fez pensar em como seria esse mundo do livro. Parabéns.

    Obs: Indiquei vocês para responderem uma Tag, deem uma olhada.
    http://liriosevioletas.blogspot.com.br/2015/10/tag-esse-ou-esse.html

    Beijinhos violetas ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieee!

      Obrigada pelo elogio, Sim, o livro é muito bom! E eu não vejo a hora de ler as continuações!

      Eeeeebaaa!! Tag <3 Pode deixar que vamos responder sim :) Beijos!

      Excluir