[RESENHA] Nove Cartas sobre a Divina Comédia



Uns anos atrás eu e um amigo estávamos escrevendo juntos e decidimos fazer uma história mais intensa, resolvemos que minha personagem iria morrer e faríamos a história dela no inferno, ele simplesmente me disse: “decida como ela vai morrer, seguiremos a linha do inferno de Dante”.
E eu pensei: inferno de quem? Logo depois descobri que ele estava falando de Dante Alighieri, que escreveu a Divina Comédia. Dante descreve em versos como é o purgatório, o inferno e o paraíso, comecei a pesquisar e a gostar, mas me assustei quando comecei a ler, porque eu não entendi nada!
Mais tarde comprei um livro da Divina Comédia que vinha com trocentas notas de rodapé, mas precisa de muito conhecimento bíblico, muito mais do que mundano ou sobre o autor – e eu não tenho lá muito conhecimento bíblico, a não ser que “curiosidade” tenha mudado de nome, então, se você é como eu, continue me acompanhando amigo.
Então descobri esse livro que venho vos falar. “Nove Cartas Sobre a Divina Comédia”, escrito por Marco Lucchesi, traz desenhos, vários versos e muitas explicações interpretando o livro. Marco torna mais fácil a compreensão de tudo que Dante vê e poetisa, em uma linguagem belíssima, mas acredito que qualquer pessoa que tenha curiosidade sobre o assunto é capaz de ler.
A obra é um trabalho inteiro que mostra sua admiração e devoção por Dante e sua passagem por tais territórios, no livro Dante é autor e personagem principal, ele descreve as cenas como ele mesmo viu. É claro que não menosprezo ou desfaço a obra original,mas tem-se que admitir: ela não foi feita para qualquer reles mortal.
Esse livro foi feito para pessoas que tem seu interesse bíblico, mas não de forma fanática a ponto de ter a mente fechada, principalmente quando se trata do inferno; são sete pecados capitais e nove círculos no inferno, se estreitando cada vez mais para fundo da Terra, longe de Deus. Quem decide para qual círculo a pessoa será mandada para sofrer durante a eternidade é Minos e é Virgílio quem acompanha Dante em sua jornada, a não ser no Paraíso, onde quem o guiará será sua bela e amada Beatriz.
Lendo o livro de Marco entende-se o purgatório como algo passageiro, onde as pessoas de má conduta ainda possuem esperança em seu julgamento. A descrição do Paraíso não é tão diferente do quanto as pessoas imaginam geralmente, é cheio de luz e alegria, virtude, mas também é uma das partes mais difíceis do livro.
Ambas obras podem ser vistas como uma contribuição para a humanidade, tira-nos o medo de morrer e, para aqueles que acham que vão para o inferno, um aviso do que é possível encontrar lá – ou quem pode servir de estímulo para sermos pessoas melhores.


..::By Marina Salla::..


0 comentários :

Postar um comentário