[RESENHA] Mini Becky Bloom ~ Sophie Kinsella



           Eu sei que existe toda uma série de livros sobre a Becky Bloom, mas esse foi o primeiro que eu li. E é um desses que você não precisa ler dês do primeiro para ser capaz de entender a história – sorte a minha, porque eu vivo dando uma dessas de comprar fora de ordem.
           Aliás, eu tenho quase certeza que esse foi o último que saiu. Enfim.
          Becky Bloom (que na verdade se chama Rebecca Brandon) trabalha com roupas, é incrivelmente consumista, é casada com um bom cara chamado Luke, e deve ser uma bela de uma pressão ser casado com Becky, se eu fosse Luke me sentiria como se todo o bom senso e lucidez da vida real dependessem de mim – convivendo com Becky, acho que é bem assim que ele se sente.
          Eles então tem uma filha: Minnie!
          Menininha adorável.
          Aham...
          Demais...
          Logo nas primeiras páginas já temos ideia de como ela é uma criança mimada, agitada, que sabe que tudo bem não ter dinheiro porque o cartão de crédito é uma coisa mágica que faz todas as compras serem possíveis. Ela tem dois anos.
          Eu engulo em seco e repito: dois anos.
          Luke acha que tem alguma coisa errada com Minnie, mas Becky diz que sua menininha é absolutamente normal, afinal ela tá comprando coisas com o próprio dinheiro (mesada que Becky inventou para Minnie, que já tem dívidas para cobrir com sua pequena mesada até ela ter uns quinze anos, quem sabe vinte, ou trinta...).
          Mas o foco da história não é só isso. Eu sei que é difícil pensar em outra coisa quando sua filha é o pesadelo de vendedoras do shopping e o distúrbio da paz. O que acontece é que... O banco faliu.
          Tente imaginar uma família (incluindo na história também os pais de Becky) que tem uma qualidade de vida como se dinheiro fosse o último de seus problemas, e de fato era até então, tendo que comprar numa loja que seria a nossa 1,99.
          No meio disso tudo também existe uma suposta festa surpresa de aniversário. Será que vai dar certo? 
  



 ~ Marina Salla ~ 


0 comentários :

Postar um comentário