[RESENHA] Velho Logan


Sinopse: Cinquenta anos no futuro, os super-heróis perderam a batalha contra os vilões e os Estados Unidos são divididos em feudos. É quando um velho e aposentado Wolverine é levado a voltar à ativa.



Autor: Mark Millar
Ilustração: Steven McNiven
Edições:  Wolverine # 66 a # 72 e Wolverine – Giant-Size Old Man Logan


Primeiramente devo dizer que essa não era minha intenção inicial para essa semana. Mas eu lembrei que no dia 02/03 estréia Logan, então nada mais justo do que falar de foi a “inspiração”. Entenderemos o motivo dessas aspas mais a frente. Dizendo isso tudo, vamos em frente.


Velho Logan se passa em universo alternativo, ou seja, não se passa na Terra-616. E caso não saiba, a Terra-616 é o universo regular da Marvel. Esse recurso de utilizar múltiplas terras é bem comum nas histórias, porque assim, os escritores podem “estragar” o universo sem atrapalhar a cronologia das revistas mensais.


Nessa história, vemos um Wolverine, agora só Logan, bem mais velho e com seus poderes de cura começando a falhar. Mas mais importante que tudo isso, ele se recusa a ser Wolverine de novo. Nesse momento, ainda não sabemos o motivo.


Em uma terra devastada, ele vive em um lote de terra praticamente estéril, com sua esposa e filha. Sendo esse lote alugado pela Gangue de Hulks. Sei que isso não faz sentido, então pra vocês entenderem, precisamos voltar um pouco.





Lembra que falei que era uma terra devastada? Isso aconteceu porque, nesse universo, os vilões venceram, e agora não existem mais heróis na terra.Os vilões se uniram e atacaram os heróis de uma vez só, em múltiplos ataques simultâneos para eliminá-los de uma única vez. Eu lembro que, quando li, me perguntei por qual motivo eles nunca pensaram em se unir. Após terem vencido, os vilões se separaram em uma espécie de distritos em que cada um deles dominam seu território. Um desses distritos era do Abominável, e foi conquistado pelo Hulk. E, aliás, a disputa de poder e conquista de territórios são




Após essa “pequena” introdução, não posso continuar, pois desse ponto em diante já seriam spoilers da trama e, contando isso, estragaria muito a trama para quem for ler. O que eu posso dizer sem comprometer muito, é que deste ponto em diante começam a aparecer muitos personagens mais velhos, eu pessoalmente sempre acho isso legal. Vemos alguns vilões, como caveira vermelha e  alguns heróis, como o próprio Hulk.


Um ponto importante que não posso deixar passar é na dupla Mark Miller e Steven McNiven, no roteiro e arte. A mesma dupla de Guerra Civil novamente não decepcionam. Com roteiro surpreendente e cheio de “plot twists”. Embora eu não tenha gostado muito do final, ainda sim é bem legal. E a arte do McNiven, novamente, faz uma arte maravilhosa. Por ser uma revista do Wolverine, é muito violenta. Mesmo que seja uma violência contextualizada e coerente com as situações, ainda sim é bem violento.





Lá no início deste texto, eu disse que este arco foi inspiração pro novo filme do Wolverine. Quando disseram isso, eu já sabia que na realidade não seria. Com essa pequena análise acho que já fica claro que realmente é uma outra história que será contada no filme. Bem, para ser justo, o filme vai ser passar alguns anos no futuro e algo aconteceu com os mutantes que apenas alguns existem. Mas além de isso tudo, eu acho que esse filme realmente vai ser muito bom.


Então é isso. Espero que tenha dado uma ideia do que acontece nesse arco. Mas o mais importante é dizer que recomendo muito esse arco. Lembrando que é para maior de 18 anos. Se tem algo a nos dizer, escreve ai nos comentários.

Por Filipe.

0 comentários :

Postar um comentário