[Resenha] Eliza and her monsters, de Francesca Zappia




Título: Eliza and Her Monster
Autora: Francesca Zappia
Editora: Greenwillow Books

Páginas 400

Em uma dessas minhas andanças pelo  Booktube gringo, eu descobri o canal da Hanna o A Clockwork Reader e no vídeo das melhores leituras do ano, apareceu Eliza and Her Monsters e como a sinopse me passou uma vibe meio Fangirl, da Rainbow Rowell, eu não resisti e acabei comprando no final do ano passado.


Eliza é apenas uma adolescente, mas é a criadora de uma das webcomics mais famosas da internet: O Monstrous Sea. O sucesso é tão estrondodoso que o webtoon possui até uma loja online para a venda dos produtos, e com o dinheiro que ganha, Eliza economiza para a faculdade.

Mas apaesar de todo esse sucesso online, ela vive uma vida de anonimato no mundo real. Na escola, Eliza é apenas mais uma nerd a ser ignorada nos corredores. Já em casa, ela parece um peixe fora d´água em sua vida sedentária, numa família tão atlética - ela nunca conseguiria entender o fascínio que os pais e seus irmãos mais novos possuíam pela prática de esportes. O mundo real não era para ela. Era entre suas artes e seu webtoon que ela se sentia em paz.

Tudo isso muda quando uma professora encarrega Eliza de mostrar a escola para Wallace, o aluno novo. Wallace chama a atenção de Eliza, porém todas as vezes que ela tenta conversar com ele, ele não responde. Eliza fica meio frustrada com isso, e meio que desiste, até o dia que ela vê dois garotos implicando com Wallace e ela o defende. Eliza então descobre que Wallace tem dificuldades de falar quando tem pessoas em volta. Além disso, ela descobre que além de ser um simples fã de Monstrous Sea, Wallace é na verdade escritor de fanfic mais famoso do fandom. E Eliza precisa lidar com essa interferência do mundo real em sua vida online. Ainda mais quando sentimentos nada virtuais estão em jogo. 


cr: http://www.epicreads.com/blog/eliza-and-her-monsters-art/

Quem lê a sinopse, acha que trata de um mero romance adolescente, mas esse livro vai muito além disso. Ele explora a relação entre pais e filhos, amizades virtuais e a ansiedade.

Como já dito, Eliza se sente perdida em sua própria casa. Os pais não conseguem entender o porquê dela passar tanto tempo no celular ou no computador. Eles desconhecem a proporção que a obra de Eliza alcançou online. E muito menos da filha ter amigos virtuais, mas não amigos na vida real. Acho que esse choque de gerações, é algo que os milenials e a geração Y enfrentaram e enfrentam até hoje. Com o advento da internet a maneira de se comunicar, de estabelecer relações e de produzir conteúdo mudou. E isso é uma coisa que a geração anterior ainda custa a entender e aceitar. O livro também discute até que ponto uma vida online é benéfico para uma pessoa. 

Acho que eu nunca tinha lido uma descrição tão exata de um escritor ou criador de conteúdo, que precisa lidar com a ansiedade e, consequentemente, a pressão do público. A autora retratou a ansiedade com uma delicadeza e uma precisão que me deixou encantada.  Eu consegui me enxergar em muitos dos questionamentos que Eliza passava e em como e a ansiedade controlava a vida dela. E como a incompreensão das pessoas ao redor, te faz questionar a si mesma a cada instante. Acho que desde Fangirl, eu não me sentia tão bem representada num livro. 









0 comentários :

Postar um comentário