Vamos falar sobre Serviços de Streaming?




Se você é fã de dramas asiáticos, com certeza ficou sabendo do fechamento do Dramafever,
um dos maiores sites de streaming de filmes e dramas asiáticos, que encerrou suas
atividades em Outubro deste ano. O acontecimento pegou fãs e equipes completamente
desprevenidos, já que a Warner não comunicou previamente a decisão de fechar o serviço.
Com isso, muitos fãs ficaram perdidos e campanhas para outros streamings viessem ao Brasil
começaram.


Até Outubro, o mercado de streaming no Brasil, com relação a dramas asiáticos, se resumia
a Dramafever e Viki, que eram as maiores empresas na disputa do mercado de dramas no
Brasil. Com algumas exceções, quando um drama era licenciado para um serviço, o outro
não conseguia e vice-versa, o que tornava a concorrência bastante interessante e muitos
fãs acabavam assinando os dois serviços, para terem acesso a uma maior variedade de
dramas. É verdade que com o fechamento do Dramafever, o único serviço exclusivo de
dramas que nos restou foi o Viki. E convenhamos, quando não há concorrência, quem
acaba perdendo são os fãs. Então vários fãs se mobilizaram no twitter para chamar a
atenção de outros serviços e trazê-los ao Brasil. As duas campanhas que eu conheço foram
organizadas pelo Blog Além Do Que Se Vê, e o alvos das campanhas foram o Kocowa e
o OnDemandKorea.

O objetivo desse post, é conversar um pouco sobre os serviços de streaming existentes aqui
e da real possibilidade da entrada de novos serviços no mercado brasileiro.


Os maiores sites de streaming

1- Netflix



Embora a Netflix não seja um streaming voltado apenas para dramas asiáticos, o serviço
contém mais de 50 títulos entre dramas coreanos, japoneses e chineses (e se não estou
enganada, vai estrear um drama tailandês em breve).  A Netflix possui 3 planos:
Básico (19,90), Padrão (27,90) e Premiun (37,90) todos os planos são mensais.



É um serviço de stream de dramas coreanos, disponível apenas nas Américas do Norte e do
Sul. O valor da assinatura é de $6,99 (R$27,13)  mensais e não há período de teste, e nem a
opção de assinar o serviço anualmente.



Kocowa foi um serviço criado por 3 emissoras coreanas (KBS, MBC e SBS) e também só está
disponível nas Américas do Norte e do Sul. o Kocowa possui 3 planos:
Diário $0.99  (R$ 3,88)
Mensal $6,99 (R$27,13)
Anual $69,99 (R$271,61)

4-Viki




É um serviço bem conhecido dos fãs. Diferente dos dois concorrentes acima, a abrangência
do Viki é global (podendo variar de acordo com o drama), além de ter legendas para mais
de 70 idiomas. O Viki possui 3 planos:

Básico $0,83 (mensais), sendo cobrado o valor anual de $9,99 (R$38,77)
Standard $4,17 (mensais), sendo cobrado o valor anual de $49,99 (R$193,99)
Plus $8,33 (mensais), sendo cobrado o valor anual de $99,99 (R$388,03)

Para saber as diferenças entre os planos, clique aqui.

Prós e Contras




Prós
-Possui uma vasta variedade de filmes e dramas coreanos
-Dá para usar o Chromecast, mesmo sem assinar
-Tem como assistir vários dramas, sem assinar


Contras
-Não tem dramas de outros países asiáticos
-Só possui legendas em inglês
-Diversos dramas não possuem legenda






Prós
-Uma grande variedade de K-dramas
-Dá para usar no Chromecast (apenas com assinatura)
-Tem como experimentar por 1 mês (se você escolher o plano mensal)
-Há a possibilidade de dividir a conta com os amigos (ainda não disponível no Brasil)
-Possui uma lista de dramas grátis


Contras
-Só possui legendas em inglês e espanhol
-Não tem dramas de outros países asiáticos
-Só possui dramas das redes MBC, KBS e SBS (OCN, JTBC e TvN ficam de fora)







Prós
-Além de dramas coreanos, possui dramas Chineses, Twaianeses, Japoneses e
Filipinos (em breve)
-Dá para usar no Chromecast(apenas com assinatura)
-Tem como experimentar por 1 semana
-Possui uma lista de dramas grátis


Contras
-Alguns dramas só possuem legenda em inglês
-As legendas podem demorar





Há chances do Kocowa realmente vir para o Brasil?



Antes de chegar nessa questão, primeiro vamos discutir o porquê do Kocowa ter sido criado.

No ano de 2017, o embargo que a China vem fazendo com os produtos coreanos atingiu
seu ápice, e com isso houve algumas mudança nos mercado do entretenimento coreano,
como a divisão de episódios dos dramas (2 episódios de 30 minutos, ao invés de 1 de 60
minutos), para que houvesse mais espaço para comerciais. E outra medida, foi a criação do
Kokowa, para que as três maiores emissoras da Coreia, também aumentassem seus lucros,
ao invés de ficar dependendo de sites como o Dramafever e o Viki. Esses canais não
parariam de licenciar dramas para esses sites, mas seria um número mais limitado. Além
disso, grande parte do catálogo de dramas antigos dessas emissoras seriam retirados
dessas plataformas e só ficariam disponíveis no Kokowa. O Viki e o Dramafever receberam
uma lista de dramas que seriam retirados do site e em qual data isso aconteceria.


Rapidamente, o Viki conseguiu um acordo com o Kokowa. Não só, eles manteriam o
catálogo antigo, como teriam acesso há grande parte dos dramas em andamento dessas
emissoras e com isso, surgiu o Viki Plus, que dá acesso aos dramas do Viki, além dos
dramas do Kokowa (exceto os exclusivos do Dramafever ou do próprio Kocowa). O grande
problema dessa junção (além do preço), é que alguns dramas já vêm com a legenda em
inglês do Kocowa, e são proibidos de serem traduzidos para as demais línguas.


Mas porque eu falei tudo isso? Porque esses detalhes são importantes para dizer que,
mesmo que o Kocowa chegue ao Brasil, ele vai chegar aqui limitado.


Quando o Kocowa foi lançado, eles disseram que havia planos para expandir para o
espanhol e português (nessa ordem). No entanto, depois desse acordo com o Viki, eu acho
que retardou o progresso do Kokowa nessas línguas. No momento, eles já colocaram todo
o conteúdo do site em espanhol e alguns dramas já estão recebendo legendas nesse
idioma. No entanto, não se sabe se eles estenderão essas novas legendas para todos os
dramas.


Então quer dizer que o Kocowa  nunca vai chegar aqui?


Eu não acho isso. Com toda a campanha que teve nas redes sociais, o Kocowa enxergou
os fãs brasileiros e viram que há um mercado a ser explorado. Mas acho difícil que eles
disponibilizem todo o catálogo em português, justamente pelo custo e mão de obra que
isso demandaria (a não ser que eles entrem num acordo com o Viki para usar as legendas
da plataforma, só que para isso o Viki teria que pagar aos tradutores daqueles dramas
e isso seria uma grande confusão). Caso eles optem por de fato, traduzir todo o catálogo
para português, isso sem dúvidas é algo que vai demandar bastante tempo.


Então, eu acho que apenas os dramas mais recentes (e aqueles que não têm legenda no Viki)
receberiam legendas em português no Kokowa. E consequentemente, o Viki também
passaria a receber legendas em português destes mesmos dramas. O que seria bom para ambas
empresas.

Em contra partida, o Viki vem tentando conseguir com que a tradução dos tais dramas
"proibidos", seja liberada pelo Kocowa, mas até o momento não foi divulgado nenhuma
novidade sobre este assunto.


Só que ainda temos um pequeno (grande) problema.


Nas Américas, o Dramafever era o detentor dos direitos da maior parte dos dramas da JTBC,
OCN e TvN. E, com o fim deles, ficamos sem um lugar para assistir tais dramas. O
OnDemand Korea possui a maioria desses dramas, só que grande parte não tem qualquer
legenda, então não é uma opção muito viável para nós.


Acho que para termos a mesma variedade de programação, as seguintes opções seriam
uma saída:


1- O Viki mudar sua estratégia, e começar a investir em dramas diferentes do catálogo
do Kokowa.
2-A união da JTBC, OCN e TvN na criação de um serviço próprio de Streaming.


3-Um investimento pesado da Netflix, para comprar os dramas das emissoras já citados,
assim como ela vem fazendo com alguns dramas da JTBC (e aumentar a compra de
dramas da mesma)


4- A criação de um novo serviço de stream nos mesmo modelos do Dramafever, e que
busque dramas diferentes do Viki.
 
A verdade é que para que haja qualquer mudança no cenário brasileiro, as empresas
precisam enxergar o Brasil como um mercado consumidor, que está disposto a investir nesta
forma de entretenimento. As licenças dos dramas custam dinheiro (cerca de 800 mil dólares
por drama) e nenhuma empresa vai investir num mercado que não prometa um retorno real
e consistente.

Enquanto isso, só nos resta torcer para que o mercado de dramas asiáticos cresça no Brasil.




       

0 comentários :

Postar um comentário