[Resenha] Um perfeito Cavalheiro, Julia Quinn


       


Título: Um perfeito Cavalheiro
Série: Os Bridgertons (Livro 3)
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Ano:2013




E chegamos ao terceiro livro dos irmãos Bridgertons. Esse é o livro do segundo filho, Bennedict. Para quem caiu aqui de para quedas, os Bridgertons trata-se de uma série literária que retrata uma família bem popular na sociedade londrina, principalmente, pela numerosa quantidade de filhos quando pelo modo nada usual de nomear as crianças.

Bennedict é o segundo filho dessa família  e também é o irmão mais calmo e introspectivo. Enquanto Anthony carrega toda a responsabilidade familiar nas costas, e Colin não consegue ficar num canto muito tempo, Bennedict consegue ser o contra ponto desses dois opostos.


Em uma determinada noite, em um dos bailes que sua mãe amava dar, uma mulher chama sua atenção. Por ser um baile de máscaras,  ele não conseguia ver seu rosto dela, mas Ben tinha certeza de que nunca tinha encontrado uma mulher como ela em toda sua vida. Porém, em um piscar de olhos, a dama desapareceu, sem deixar qualquer vestígio. 

Quando pequena, Sophie, que era filha bastarda de um conde, vivia na mansão da família e tinha uma vida privilegiada, apesar das circunstâncias do seu nascimento. Para todos, o conde dizia que ele era apenas o tutor dela, mas a semelhança de ambos deixava claro o parentesco entre eles. Tudo mudou depois que o conde se casou, além de ter que  conviver com uma madrasta, Sophie também ganhara duas irmãs: Rose e Posey. Após a morte do pai, Sophie é relegada a simples posição de doméstica. E apesar de já ser maior de idade, sua madrasta se recusa a lhe dar a herança que lhe pertence.   

Quando a madrasta descobre que Sophie foi ao baile de Violet Bridgerton, a garota toma coragem e  decide fugir de casa, porém, mais uma vez, seu caminho se cruza com o de Bennedict Bridgerton.

Mesmo sabendo da atração que há entre eles, Sophie não cria esperanças, afinal, que cavalheiro respeitável se casaria com uma bastarda? Enquanto isso, Ben tenta convencê-la de que a origem pouco importa, e sim a índole atual da pessoa.

Por ser o menos vivaz de seus irmãos Bennedict não arranca tantos suspiros dos leitores, quanto Anthony e Colin. Mas a honradez e cavalheirismo dele são suas melhores qualidades, e seu jeito calmo e sereno consegue penetrar em nossos corações. 

Julia Quinn não decepciona ao criar versão do famoso conto de "Cinderela". Apesar de ser uma história bem conhecida do público em geral, a autora consegue adaptar os elementos do conto original com naturalidade, fazendo tudo se encaixar dentro daquele universo que ela criou. Sophie e Bennedict têm uma ótima química entre si, mas devido a sua natureza centrada e quieta, o casal não empolga tanto o leitor. Mas tudo bem, nem todas as histórias precisam ser empolgantes para serem boas.



0 comentários :

Postar um comentário